.mais sobre mim

.posts recentes

. A Vídeo Vigilância na Esc...

. A sempre difícil tarefa d...

. As WQ e as Ciências

. Hot Potatoes: Esta batata...

. A Internet

. O Principezinho na Escola

. Provas de Aferição

. Visitas Reais vs Visitas ...

. Blogs na Educação

. O meu primeiro blogue

.links

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

26
27
28
29
30


.pesquisar

 

.arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.Visitas

casinos
casino online
Domingo, 10 de Junho de 2007

As WQ e as Ciências

De acordo com as Competências Gerais (DEB, 2001) e com o Decreto – Lei nº6/2001 de 18 de Janeiro, que estabelece os Princípios Orientadores da Reorganização Curricular do Ensino Básico, é fundamental o recurso a Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), de forma a favorecer o desenvolvimento de competências numa perspectiva de formação ao longo da vida. Como afirma D’Eça (1998), “temos que conciliar o ensino com os novos rumos da vida moderna, com os meios informáticos, com as novas tecnologias de informação e comunicação, com o recurso às redes” (p.17).

Uma actividade interessante para utilização da Internet nas aulas de ciências é a WebQuest. Este conceito foi apresentado, em 1995, por Bernie Dodge e Tom March e trata-se de uma estratégia de aprendizagem que assenta numa pesquisa orientada, em que toda, ou a maior parte, da informação com que os alunos interagem provem da Internet. Consiste num meio de aprendizagem e de desenvolvimento de competências, designadamente de autonomia na aprendizagem (D’Eça, 1998) e promove a interdisciplinaridade.

O recurso a WebQuests, para o ensino das ciências, pode considerar-se adequado uma vez que se trata de uma actividade orientada para a resolução de problemas. As metodologias que integram este recurso prevêem a possibilidade da realização de actividades, pelos alunos, de uma forma autónoma, colaborativa, cooperativa e intensa de construção de conhecimentos (Cruz, 2006). A utilização deste recurso leva, ainda, os alunos, à procura, à partilha, à investigação, à negociação, ao confronto de ideias e, de uma forma crítica, à selecção da informação mais relevante. No entanto, uma vez que são fornecidas informações gerais ao resolvedor (Dodge, 1995) evitam-se perdas de tempo, em navegações sem rumo. A WebQuest é uma forma de introduzir as Tecnologias de Informação e Comunicação na sala de aula, nomeadamente a Internet, enquanto auxiliadora da construção de conhecimentos por parte dos alunos, mas de uma forma minimamente estruturada (Silva & Leite, 2003), uma vez que apresenta a tarefa a realizar, descreve o processo a usar na realização da dita tarefa, fornece os recursos a utilizar, descreve o sistema de avaliação a adoptar e conclui, promovendo uma reflexão sobre o trabalho realizado e sobre eventuais novos problemas.

Segundo Silva (2006), as WebQuests apresentam vantagens ao nível do desenvolvimento de competências de resolução de problemas, embora a aprendizagem baseada na resolução de problemas (ABRP) proporcionada pela resolução de uma WebQuest seja de natureza mais fechada do que a ABRP tal como é sugerida por Lambros (2004).

A maioria dos fenómenos geológicos reveste-se de alguma subjectividade, para os alunos, uma vez que não podem ser vistos, assentando a sua explicação em modelos. Por isso, a utilização de WebQuests reveste-se de enorme importância, na leccionação dos conteúdos abordados, por permitir o recurso a sites onde se podem visualizar simulações dos fenómenos, como por exemplo os que se relacionam com a Dinâmica Interna do Planeta, tais como o movimento de placas litosféricas.

Alguns links de WebQuest de Ciências

Estes são apenas 4 dos exemplos disponíveis na Internet, e que podem ser usados pelo professor, para utilização directa ou como modelos para construção de outras, dentro desta temática.

Já não é "desculpa" não dominar os programas necessários à construção das WQ, pois estão à distância de um "minutos de procura"... Será talvez necessário providenciar outro tipo de condições na escola e nas mentes de cada um.

Não sou apologista da massificação de uma metodologia, no entanto considero que actualmente é premente a diversificação das mesmas, desde as que passam pelo "método tradicional", até às que introduzem as novas tecnologias na escola, ou a escola no mundo...


publicado por acm às 23:26

link do post | comentar | favorito
|

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds